Simpósio “Dr. Ricardo Góes” acontece com presença da família do homenageado e rica programação

O 1° Simpósio “Dr. Ricardo Góes” realizado nos dias 09 e 10 de agosto contou com a participação de quase 100 profissionais nas aulas práticas e teóricas. As atividades se dividiram no Anfiteatro do Gastrocentro da UNICAMP e na sede da SMCC. O evento é uma realização da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas em parceria com a Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, e apoio da Associação de Coloproctologia do Estado de São Paulo (ACESP).

As apresentações trouxeram análises críticas de revisões atualizadas da literatura médica. Para o médico Dr. Gustavo Sevá Pereira, idealizador da homenagem ao Dr Ricardo Góes, o evento conseguiu reunir altíssimo nível científico.

“A parte prática, do Hands-on de dissecção anatômica em cadáver, precedida de aulas de anatomia e cirurgia sobre o assunto, foi algo que realmente fez a diferença. Professores universitários de grande renome que vieram de outras cidades e estados elogiaram de maneira eloquente”, falou.
“Esvaziamento procto lateral do câncer de reto é o assunto do momento e está em voga em função de diferentes aspectos, dentre os quais, os diferentes achados obtidos a partir do exame Ressonância Magnética”, explicou para o site da FCM o diretor associado da FCM e docente do Departamento de Cirurgia da FCM, Cláudio Coy, sob a motivação de realização do Simpósio.

Considerado o ponto alto do Simpósio foi a presença da família do homenageado. Prof. Dr. Ricardo Góes se tornou importante na coloproctologia nacional após as iniciativas no ensino e pesquisa no Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da UNICAMP.

“Foi com um profundo sentimento de alegria que eu, meus irmãos e minha mãe, recebemos a notícia da homenagem feita ao meu pai pela Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas. Como foi emocionante escutar as palavras de todos que participaram do Simpósio”, contou um dos filhos José Ricardo Ocanha Góes que esteve acompanhado da mãe Rita Helena Ocanha Góes e irmãs Giovana Ocanha Góes e Renata Ocanha Góes.

José Ricardo comentou também que o Simpósio foi uma forma de reviver a presença do pai novamente através das palavras de carinho e de conhecimento. Contou que a família ainda sente ausência do médico.

“Mas o que vivemos nesses dois dias de Simpósio acalenta nossos corações. Como é bom ouvir de pessoas que conviveram e aprenderam com ele o quanto sua vida profissional influenciou, cativou e incentivou a brilhante evolução de suas carreiras. Nada mais gratificante do que saber que a capacidade profissional do meu pai contribuiu para o ensino de pessoas que seguiriam na mesma direção. Na direção de ter paixão pelo que fazia, sempre com grande dedicação, horas de estudo e pesquisa, respeito pela sua função de cuidar do sofrimento alheio e ensinar, com extremo amor ao que fazia, tantas pessoas”.

José Ricardo aproveitou para agradecer aos colegas Dr. Claudio Coy, Dr. Gustavo Sevá Pereira, Dra. Bianca Sodré e Dr. Joaquim de Oliveira pela iniciativa.

“O legado profissional do meu pai não deixou marcas só em seus alunos e profissionais que conviveram com ele. Deixou também, para a nossa família essa herança de termos pessoas tão especiais que lembram do nosso querido pai e marido com tanto respeito e admiração, como também, que lembram de nós, como parte de tudo isso”, disse.

Entre amigos da Coloproctologia

Prof. Dr. Hélio Moreira, chefe do Depto Cirurgia da Federal de Goiânia, esteve no evento para uma das aulas do curso. “Ganhou muito quem participou dessa jornada, que esteve a altura do homenageado, o qual estava representado por sua família. Precisamos enaltecer a disposição e cordialidade dos professores Claudio Coy e Gustavo Sevá Pereira, que não pouparam esforços na organização deste evento.”, comentou.

A residente de Coloproctologia do Hospital Mário Gatti, Dra. Dayanne Alba Chiumento também deixou seu depoimento.

“O Curso foi extremamente proveitoso, com aulas teóricas de alto nível e a parte prática para solidificar o conteúdo. Na minha opinião, a prática foi muito importante para perceber que, com treino, a técnica pode ser incorporada no nosso dia-a-dia”, comentou a médica.

Programação científica

Na sexta-feira, o evento teve como foco, o aprimoramento técnico-cirúrgico do esvaziamento lateral de gânglios linfáticos no tratamento do câncer de reto. Houve uma revisão detalhada da anatomia topográfica da pélvis apresentada pelo professor Wagner Favaro do Departamento de Anatomia da UNICAMP.

Já o professor João José Fagundes conduziu uma aula magistral sobre a história da adoção desta técnica cirúrgica no Brasil e no mundo.

A UNICAMP foi pioneira na adoção desta cirurgia no país, sob o comando e entusiasmo do professor Ricardo Góes, na época o chefe do Departamento de Cirurgia.

Os professores, Carlos Augusto Martinez e Luís Cláudio Pandini proferiram conferências sobre os temas: indicações, resultados e aspectos técnicos da laparoscopia na dissecção lateral de linfonodos, com ampla discussão aberta ao auditório.

Depois uma apresentação de peças de pélvis humanas de cadáveres no Laboratório de Anatomia da UNICAMP. O material foi preparado para aula. As estruturas vasculares e nervosas já estavam previamente dissecadas nas regiões laterais do reto, sendo feita discussão e revisão das estruturas por professores de grande experiência.

E, finalmente os trabalhos do primeiro dia foram completados oferecendo aos participantes a oportunidade de dissecar todas as estruturas vasculares e nervosas em cadáveres, concluindo as atividades.

No sábado, o Simpósio seguiu com apresentações variadas de professores de Campinas, Barretos e Goiânia sobre o câncer colorretal, técnicas avançadas de tratamento cirúrgico e colonoscopia, o emprego da neo-adjuvancia, a relação oncogenética no câncer intestinal e tratamento paliativo dos pacientes.