Psiquiatra Neury Botega concede entrevista e antecipa temas do encontro do dia 19/03, na SMCC

Será na terça-feira, dia 19/03, às 20h, na SMCC, o encontro com o conhecido psiquiatra e Prof. da FCM da UNICAMP, Dr. Neury José Botega. Ele conduzirá uma palestra com debates moderados pelo psiquiatra Professor Colaborador também da Universidade, Dr. Carlos Filinto da Silva Cais.

Na ocasião, a Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas, a SMCC, realiza o primeiro evento do grupo de trabalho criado para atuar em ações permanentes de prevenção ao tema: é o Comitê Permanente de Prevenção ao Suicídio.

A iniciativa surgiu após a bem sucedida campanha protagonizada pela entidade em 2018, quando foi realizada a “Semana de Prevenção ao Suicídio da SMCC”. Esta foi a maior mobilização de uma entidade médica voltada para ações educativas, atualização científica, orientação de educadores, jornalistas e forças tarefa em praça pública dirigida à sensibilização da comunidade em geral.

Neury acaba de publicar novo livro a respeito do tema e na internet tem vários vídeos auxiliando pacientes, parentes e comunidade em geral a identificar sintomas e entender os aspectos ligados as doenças correlacionadas ao ato do suicídio. Ele é considerado na atualidade um dos maiores nomes em estudos ligados ao suicídio no Brasil e reconhecido mundialmente pela comunidade científica. A palestra terá como tema: “Avaliação e manejo do risco de suicídio”.

 

Entrevista com Neury Botega

1) O tema “avaliação e manejo do risco de suicídio” , como podemos ter estes aspectos relacionados na conduta diária sendo médicos ou até outros profissionais como educadores no contato com público de crianças/escola, principalmente?

“É muito importante o olhar atento as mudanças de padrão de comportamento, especialmente em crianças e adolescentes. Uma birra, uma tarde trancado no quarto pode ser normal após uma discussão. Agora, passar toda uma semana, duas ou mudanças no aproveitamento escolar, isolamento, crises de raiva; são sinais gerais de que as coisas não estão bem. Não necessariamente sinais de risco de suicídio. Pode ser depressão, ansiedade, bulling, por isso o olhar atento as mudanças”

2) Ainda há desinformação sobre o tema suicídio?

“O tabu já foi maior. Até cinco anos atrás não se falava tanto na mídia sobre suicídio. Eu tenho impressão que várias ações entre as quais o setembro amarelo e a abertura das revistas semanais e da tevê sobre o tema ajudou muito as pessoas a poderem falar mais sobre transtornos mentais e a necessidade de prevenção de suicídio em nosso país. Infelizmente entre nós os números continuam a crescer, principalmente entre adultos e jovens”

3) Realizar um evento dentro de uma sociedade médica com público multiprofissional é importante?

“É muito importante! Eu sempre enfatizo que a prevenção de suicídio não é um objetivo apenas de psiquiatras e psicólogos. É um objetivo para todos os profissionais de saúde mental, educadores, forças policiais, bombeiros e, de toda a sociedade. Os países que tiveram mais sucesso foram os que conseguiram fazer estas ações com esta abrangência, incluindo toda a comunidade”.

4) A SMCC criou um Comitê do tema. Além, de ter protagonizado uma grande campanha no ano passado. O que achou das iniciativas? Uma vez que também tem feito um trabalho de comunicação do tema nas redes sociais

“Hoje nos estamos em uma época em que há grande divulgação de vários temas nas redes sociais. Então, a iniciativa da Sociedade de Medicina e Cirurgia é importante e vem contribuir para isso. Assim como esta entrevista, a divulgação entre os médicos, profissionais e a palestra eu tenho impressão de que vai acrescentando nesse esforço de toda a comunidade em diminuir o número de tentativas, assim como as mortes por suicídio”.

 

SERVIÇO
Vagas limitadas
Inscrições no site: www.smcc.com.br
Informações: (19) 32312811