Prêmio Paes Leme: Anestesiologista Antonio Ortenzi é um dos homenageados do ano

Dedicado a recuperar algumas horas em família divididas com a carreira de médico, o anestesiologista Dr. Antonio Vanderlei Ortenzi aos 75 anos comemora a fase de vida em que aproveita o convívio com os quatro filhos e nove netos.

O médico escolhido para ser homenageado do Prêmio Paes Leme da SMCC declara que sua maior felicidade é estar em família. A premiação será dada em 15/06, no Clube de Campo da entidade.

Ao dar entrevista, por diversas vezes, conta como um grande prêmio todas as oportunidades de estar com os filhos e netos e, como foi prazeroso ter conseguido recentemente reunir oito dos nove netos em um domingo do seu aniversário.

Dr. Ortenzi tem um rotina de leituras e viagens, além da musculação e natação que não deixa de ir toda a semana. Ativo, ainda dá aulas e acabou de editar um livro. Participa com frequência de eventos na área de Anestesiologia. Será o Coordenador do 29º Curso de Controle da Via Aérea da Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA) no próximo dia 25/07, em Aracajú (SE). Diz que seu maior prazer é dar aulas!

“Se o médico parar de estudar é por que ele já morreu como médico. Falo isso há muitos anos para nossos residentes. Se quiser ser médico tem que estudar para o resto da vida; senão não vai ser bom médico. Eu não faço mais anestesia há não sei quanto tempo, mas não parei de estudar e dar aulas! Gosto de aprender e de ensinar. O Instrutor (Professor) deve ter paixão por ensinar”, disse o médico.

Hoje, Dr. Ortenzi é Professor Colaborador e Corresponsável pelo CET do Departamento de Anestesiologia – Faculdade de Ciências Médicas – UNICAMP. Acabou de ser editor do livro “Controle da Via Aérea – 2ª Ed. – 2018 – SBA”.

Tem título Superior em Anestesiologia (TSA) SBA-AMB, com Certificado de Atuação na Área de Tratamento da Dor SBA – AMB, título de Especialista em Acupuntura (TEAC) AMB pelo Colégio Médico de Acupuntura.

Ao relembrar os tempos de formação contou como foi a decisão por anestesiologia:

“Eu estudei em São Paulo, mas desde as primeiras férias do curso ao invés de aproveitar férias fazendo outras atividades eu ía ver cirurgias na Casa de Saúde. Muita gente queria ser cirurgião ou psiquiatra e, eu acompanhei cirurgia em todas as férias. No terceiro ano, na Maternidade de Campinas, eu vi que fazer anestesia era mais do que fazer dormir. Precisava conhecer Fisiologia, Farmacologia e assim acabei me definindo como futuro anestesiologista. Porém, não me desliguei das outras especialidades. Tentei ter uma formação completa durante a faculdade. Sempre tive a ideia de fazer o melhor para o outro”, contou Dr. Ortenzi.