Jornada da SMCC reforça importância da ampliação de rede em cuidados paliativos

Com auditório lotado e intensa participação de profissionais de várias áreas do atendimento à saúde, a II edição da Jornada de Cuidados Paliativos de Campinas e Região, aconteceu neste dia 30/03, no auditório Monsenhor Salim – Campus II da PUC Campinas.

O evento é uma realização da Sociedade de Medicina, a SMCC, em conjunto com a Liga de Tanatologia e Cuidados Paliativos da Unicamp e do Departamento de Clínica Médica da PUC Campinas.

Os temas da Jornada expuseram como o Brasil ainda carece expandir sua rede de profissionais capacitados ou com acesso ao debate sobre cuidados paliativos. Alguns profissionais trouxeram o parâmetro entre o país e outros mais desenvolvidos nas iniciativas. Com apontamento para legislações relacionadas ao tema como fez a Enfermeira UNICAMP, Dra. Ana Regina Borges Silva.

Os aspectos do acompanhamento de casos durante todo o processo de tratamento, luto e retomada da rotina dos parentes como pontuou a Psicóloga PUC Campinas, Dra. Nely Aparecida Guernelli Nucci.

A contribuição de outros profissionais como fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, nutricionistas, assistentes sociais e fisioterapeutas para um atendimento conjunto e adequado a cada caso.

 

Justiça, serviço público e academia

O Juiz de Direito, Dr. José Henrique Rodrigues Torres, foi responsável por um dos momentos mais marcantes do evento. Ao expor sua palestra sobre os impasses e reflexões sobre Eutanásia, Distanásia e Ortotanásia, o juiz colocou todo o grupo para refletir sobre a responsabilidade legal quanto ao cuidado, direitos e vontades do paciente em ter qualidade de vida no restante do tempo que falta ao paciente. Mas, mais que isso levantou a polêmica questão envolvendo a falta de recursos e o atendimento precário em unidades de saúde pelo Brasil.

A II Jornada ainda contou com a presença da reconhecida médica especialista no tema, a Dra. Maria das Graças Mota Cruz de Assis Figueiredo, Professora da Faculdade de Medicina de Itajubá. Ela lamentou o panorama da formação acadêmica hoje que apesar do grande número de Universidades não dispõe de uma abertura formal e regular para cuidados paliativos.

O Dr. Leonardo de Oliveira Consolim, médico na Santa Casa da Misericórdia de Passos e Hospital Regional do Câncer de Passos, ajudou a plateia com cerca de 300 pessoas a entender como também é importante cuidar e acolher o luto dos profissionais envolvidos com cuidados paliativos.

No final do dia, a dinâmica: O sentido da vida com o mestre Francisco Carlos Gomes Psicólogo da PUC-SP usou o símbolo usado para a divulgação do evento, uma borboleta azul, para sensibilizar o grupo a olhar e pensar sobre si mesmos e os colegas profissionais nesta jornada para implantar e dar condições de trabalho aos cuidados paliativos.

 

SERVIÇO

Informações sobre futuros eventos do Grupo de Cuidados Paliativos da SMCC: jornadacpcampinas@gmail.com