II Fórum de Segurança do Paciente da SMCC tem foco na cirurgia segura

A II Edição do Fórum de Segurança do Paciente da SMCC concentrou palestras e debate no Capítulo: Cirurgia Segura. O evento aconteceu no dia 01/06, no Royal Palm Hall, durante o megaevento CAMPINAS 2019.

O Fórum teve coordenação do Diretor de Defesa Profissional da SMCC, Dr. Flávio Leite Aranha e do Diretor Científico Adjunto da SMCC, Dr. Jorge Carlos Machado Curi.

A primeira edição do Fórum ocorreu em 03/08/2018, quando a programação abordou a busca por compreender os chamados eventos adversos que erroneamente é citado pela sociedade e imprensa como “erro médico”.

Nesta ocasião, estiveram presentes representantes de importantes serviços em saúde e Universidades debatendo a importância da preservação e integridade sob o ponto de vista dos maiores especialistas de Campinas.

Para o II Fórum foram chamados representantes da Rede Mário Gatti, da UNICAMP e do Hospital Israelita Albert Einstein, além das contribuições do Departamento de Defesa Profissional da SMCC.

O Dr. Flávio Leite Aranha adiantou que os eventos ligados ao tema terão continuidade na entidade.

“Esse formato de Simpósio é fundamental! As apresentações foram excelentes e o debate muito focado na cirurgia segura. Acho que tudo isso vem para contribuir para diminuir o número de eventos adversos que está alarmante. Uma questão mundial de saúde pública com ocorrências até fatais maiores do que câncer e acidentes de trânsito. A ideia é mudar a cultura e diminuir riscos para pacientes”, falou o médico.

O Diretor Científico Adjunto da SMCC, Dr. Jorge Carlos Machado Curi, falou sobre a mudança cultural que o debate tem intenção de criar.

“É o de melhorar a cultura, mas também montar ações efetivas em relação a segurança do paciente como montando os núcleos, trocando informação para otimizar as ações. É visível a percepção que tem muitas instituições se organizando e as que não estão, estão sendo pressionadas positivamente para criar seus núcleos”.

“É um tema extremamente necessário, mas como não é um trabalho individual você não faz segurança do paciente sozinho. Por mais que um ou dois tenham consciência, acho que esse é o desafio. Você precisa de todos! É muito importante este espaço por que mostra pessoas mais interessadas em divulgar. O paciente estando seguro, o profissional está seguro e a instituição está também. As vezes conseguimos evitar um desfecho irreversível, mas um precisa proteger o outro e, não cultuar acusação ou punição. E, sim gerar uma mudança”, reforçou da plateia a coordenadora de Pediatra do Hospital Mário Gatti, Maria Angélica Nucci Pereira.

A advogada da SMCC, Márcia Conceição Pardal Cortes, contou sobre a experiência do Departamento da entidade com os casos que se tornam processos na Justiça.

“Toda semana temos cinco médicos com processos novos na SMCC. É alarmante! Tenho 30 anos de advocacia e todos os anos defendo médicos e hospitais. Estou vendo os números aumentando e, muito. O que vejo é que os processos estão banhados de mágoa. Os pacientes reclamam de falta de tempo dos médicos e de médico que não gosta de conversar. E que o médico é a única pessoa que não pode errar”.

O contexto arraigado de contrariedades também é o cenário relatado durante palestra pelo Coordenador em Campinas da Rede Mário Gatti, Dr. Marcos Euripedes Pimenta. Ele acrescentou ao comentário a complexidade dos serviços públicos e do papel humano de cada um no processo.

“Estamos tendo novas discussões sobre estrutura e remuneração. Precisamos todos nos capacitar e garantir segurança para o paciente e para o profissional. Uma a cada 25 pessoas é operada no mundo por dia, então, nós todos somos pacientes em algum momento de nossas vidas. Se não for olhar como profissional, a gente deve se colocar como paciente”, concluiu.

Gerente Médico da Qualidade e Segurança do Paciente do Hospital Israelita Albert Einstein, Dr. Antonio Capone Neto, também proferiu palestra.

“Esse é um processo demorado; longo. Tem que dar um primeiro passo. Mas, você não muda nada com um só passo. Não muda uma cultura com um projeto, por causa de uma ação. É um conjunto. Certamente de alguns anos. Você espera que os mais jovens venham mais abertos e receptivos a uma nova maneira de pensar e de reagir ao erro”.

A programação ainda teve a abordagem ao tema Acreditação ONA em Clínica e Endoscopia Digestiva: foco na segurança do paciente pela representante da Sollen, a Enfermeira Alyne Domingues Gonçalves Aschar.

E o médico Dr. Antonio Gonçalves representando o Hospital das Clínicas da UNICAMP que fez questão de reforçar a importância da SMCC ter sido protagonista no tema.

“A Sociedade de Medicina de Campinas tem um papel central nas conduções e na padronização, sendo muito tradicional para medicina de toda a região. Então, iniciativas da Sociedade visando segurança e cuidado e, que tragam pessoas de todas as equipes para falar deste assunto é importante para toda a sociedade, profissionais, pacientes e instituições de saúde. Então é fantástico!”, finalizou.